sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Moderadores de Apetite- Anfetaminas

A obesidade é um dos distúrbio crônico mais comum nas sociedades industrializadas. O impacto da obesidade, em termos de saúde pública, tem sido largamente reconhecido. Atualmente, a comunidade médica define a obesidade como disfunção com patogênese multifatorial, que produz mudanças sistemáticas no estilo de vida e, na maioria dos casos graves, exige tratamento medicamentoso. 



 Diversas classes de medicamentos estão disponíveis para combater a obesidade. Recentemente, houve um aumento considerável do uso não médico e do abuso na prescrição de medicamentos para
obesidade . O uso crônico de moderadores de apetite pode estar associado ao alto risco de distúrbios devido ao uso dessas substâncias. O abuso de moderadores de apetite tem sido frequentemente relatado como problemática em países
em desenvolvimento



 Anfetaminas

 A anfetamina é uma droga sintética de efeito estimulante da atividade mental. A denominação “anfetaminas” é atribuída a todo um grupo de substâncias como: fenproporex, metanfetamina e dietilpropiona. Todas estas são comercializadas sob a forma de medicamento. 

Os usos clínicos mais comuns são como moderador de apetite e no tratamento de pacientes com Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade. Um outro tipo de anfetamina bem conhecido, porém de uso ilícito, logo, não encontrado em farmácias, é a metilenodioximetanfetamina (MDMA), conhecida por êxtase. 
Essa droga foi sintetizada por um químico alemão, Lazar Edeleanu, em 1887. Na década de 30, começou a ser comercializada sob forma de inalante para tratar congestionamento nasal, no tratamento de narcolepsia (um tipo de distúrbio do sono) e no Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade. O uso desse psicotrópico cresceu no período da 2ª Guerra Mundial, pois era distribuída para soldados. Apenas em 1971, nos Estados Unidos, iniciou-se um controle pela exigência de receita para sua aquisição.
A ação da anfetamina é estimulante provocando aceleração do funcionamento mental, aumentando a liberação e o tempo de atuação dos neurotransmissores dopamina e noradrenalina no cérebro. Assim, há uma alteração nas funções de raciocínio, emoções, visão e audição, provocando sensação de satisfação e euforia. 

A pessoa sob o efeito de anfetamina tem insônia, perde o apetite, fica eufórica e com uma fala acelerada. Além disso, apresenta irritabilidade, prejuízo do julgamento, suor, calafrios, dilatação das pupilas e convulsões. 

A anfetamina provoca dependência, assim o usuário tem que consumir maiores quantidades de comprimidos para obter os mesmos efeitos (tolerância). É comum que pessoas que utilizem anfetamina para perder peso, voltem a engordar quando interrompem o seu uso. O uso indevido e prolongado pode provocar alterações psíquicas, lesões cerebrais e aumenta do risco de convulsões e overdose.
As anfetaminas também são conhecidas como “Rebite” pelos motoristas que precisam dirigir várias horas seguidas sem descansar, sendo ingeridas, neste caso pelo seu efeito de inibição do sono. Já entre os estudantes, é conhecida por “bola”, e é também utilizada para inibição de sono com objetivo de passar a noite inteira estudando.

As anfetaminas possuem diferentes formas de uso – via oral, por comprimido ou solução, fumada e por via injetável.

O Brasil é um dos maiores consumidores mundiais de medicamentos anorexígenos a base de anfetaminas. A maior parte dos usuários são mulheres que a utilizam para o emagrecimento.

 O acompanhamento da Anvisa tem de mostrado, também, que existe grande potencial de uso abusivo dessas substâncias, apesar das inúmeras advertências sobre seus riscos.

“Não existem evidências científicas sobre o valor da utilização dessas substâncias, em longo prazo. Seu consumo elevado, no Brasil, pode demonstrar que suas indicações clínicas e seu acesso, em
farmácias de manipulação e drogarias, estão muito distantes das preconizada pela Organização Mundial da Saúde e pelos órgãos sanitários”, explica o Diretor Presidente em exercício da Anvisa, Dirceu Barbano.

Anfetamínico
Produtos vendidos em farmácias
Dietilpropiona ou Anfepramona Dualid S®; Hipofagin S®; Inibex S®; Moderine®
Fenproporex Desobesi-M®
Mazindol Fagolipo®; Absten-Plus®
Metanfetamina Pervitin®
Metilfenidato Ritalina®

Att, Giselle Barrinuevo

Nenhum comentário:

Postar um comentário