terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Olheiras

 As olheiras dão um grande impacto na aparência, pois passa a imagem de cansaço, fadiga ou uma noite mal dormida. Existem várias causas do aparecimento das olheiras, muitas vezes, pensamos que surgem apenas quando não dormimos direito, mas isto não é verdade.



Fatores como a hereditariedade, alergias, fadiga e uso de medicamentos são também determinantes no aparecimento, das marcas escuras de coloração castanha ou arroxeada, abaixo dos olhos.

 Olheiras

A hiperpigmentação periorbital é caracterizada principalmente pela alteração na coloração
da área dos olhos e ocorre, dentre outros motivos, pelo aumento localizado de melanina e
ferro, além de alterações vasculares.

A ÁREA DOS OLHOS

A camada epidérmica da região dos olhos é bastante sensível e, devido a isto, apresenta grande tendência a desenvolver hiperpigmentação, conhecida popularmente por “olheira”.

Os problemas e o estresse do dia a dia (sol, álcool e noites mal dormidas) refletem no rosto a agitação a que todos estão sujeitos hoje, sendo causas determinantes para o aparecimento de alguns sinais na pele, em especial ao redor dos olhos, entre eles as olheiras e “bolsas”, os grandes vilões da
aparência envelhecida e nada saudável.


Há poucas informações sobre este desvio estético, até mesmo nos livros de medicina. A cura definitiva é praticamente impossível, porém há muitas formas de amenizar seus efeitos, reduzindo o aspecto desagradável relatado por muitos pacientes. As principais queixas dos portadores deste mal são o aspecto de cansaço, a aparência mais idosa e, em casos extremos, a impressão de se estar drogado ou alcoolizado.

A VASCULARIZAÇÃO PERIORBITAL

O principal fator relacionado ao surgimento de olheiras está relacionado com a microcirculação sanguínea, em especial nos casos em que há fragilização da rede capilar, ocorrendo a lise destes pequenos vasos e ocasionando quebra das células sanguíneas.

Os eritrócitos, células sanguíneas que contêm grande quantidade de hemoglobina e ferro, ao serem lisados, liberam estas substâncias que, se não forem totalmente removidas, resultarão nas temíveis olheiras.
A coloração das olheiras pode variar de acordo com o tipo de substância depositada na epiderme. Assim, observa-se uma coloração violeta-esverdeada, quando há excesso de biliverdina; marrom-alaranjada se resultante da deposição de ferro e bilirrubina; e ainda de tonalidade violeta, quando
houver muita hemossiderina.

HEREDITARIEDADE  ÀS OLHEIRAS

Pode-se dizer que existem grupos étnicos mais susceptíveis a esta intensa vascularização. Ela ocorre principalmente em descendentes de árabes, turcos, hindus e ibéricos.

  Aqui, a pele não tem mudança de cor, mas a pálpebra é mais escura devido à transparência dos vasos dilatados; pode ocorrer agravamento do problema quando os vasos sofrem pequenos sangramentos. Fora das veias, o sangue fica retido na região periocular, e a hemossiderina, principal pigmento do sangue, torna a pálpebra mais escura. E, já que existe excesso de vascularização na região, os pequenos derrames neste caso não são raros.

Basicamente, são dois os motivos que definem a tendência às olheiras:


  •  o excesso de vasos sanguíneos ou o excesso de pigmentação (melanina) sob a pálpebra inferior. Este último, geralmente, é consequência da idade. Peles mais escuras geralmente têm olheiras mais visíveis;
  • entre os jovens, a hereditariedade é causa número um, e é considerada a forma mais difícil de ser tratada. O estresse também tem sua influência: acentua a vasodilatação e a produção de melanina, acentuando as olheiras.
O tratamento para olheiras são diversos e cada pessoa necessita de um tipo diferente, portanto, procure um dermatologista para cuidar das olheiras e realizar o melhor tratamento para seu tipo de pele. Att, Nutricionista Giselle Barrinuevo

Link do Fantástico sobre o assunto:
http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2015/02/olheiras-como-da-bbb-amanda-podem-piorar-com-alcool-e-tpm.html 

Nenhum comentário:

Postar um comentário