quinta-feira, 1 de novembro de 2012

LITÍASE RENAL /CÁLCULO RENAL/PEDRA NO RIM

A litíase renal afeta 3% da população com predomínio no sexo masculino e principalmente com história familiar. Trata-se de uma doença crônica, pois a taxa de recidiva na formação de novos cálculos é elevada.


A formação de um cálculo (litíase) no trato urinário pode resultar de muitas doenças. Em geral, as litíases renais são compostas de sais de cálcio (mais comum), ácido úrico, cistina ou estruvita (cálculos de infecção). Cada tipo de litíase tem seu próprio grupo de causas, de forma que o tratamento de cada entidade deve ser específico. Contudo, todos os quatro tipos de cálculos partilham uma patogênese comum, que é essencialmente baseada numa supersaturação excessiva da urina por um material de pobre solubilidade.


A litíase do trato urinário é uma das doenças mais antigas descritas pelo homem.
A litíase do trato urinário apresenta distribuição mundial, sendo mais frequente em países de clima quente.
  • O risco de  formação de cálculos urinários é de 6% para mulheres e 12% para homens.
  • entre homens negros é de cerca de 1% e entre brancos 10%
  • A incidência em crianças é baixa (cerca de 3% de todos os casos);
  •  começa a aumentar entre os homens a partir dos 20 anos de idade e atinge o pico entre 40 e 60 anos;
  • entre as mulheres atinge pico por volta dos 30 anos de idade e decai após os 50 anos .
  • A doença apresenta caráter repetitivo: estima-se que a recidiva dos cálculos ocorra
    em 50% dos pacientes não tratados entre cinco e dez anos e o tratamento clínico pode reduzir a recorrência pela metade.
Obesidade é fator de risco para formação de cálculos renais em homens e mulheres


A associação da litíase urinária com Diabetes mellitus, síndrome metabólica e obesidade está bem estabelecida. A tomografia computadorizada helicoidal sem contraste é o padrão-ouro atualmente no diagnóstico da litíase urinária.

Alimentos permitidos

  •  Tomar bastante água e chás diuréticos (cidreira, quebras-pedras, carqueja, cavalinha, cabelo de milho, chapéu de couro) QUANTIDADE 3 LITROS DE LÍQUIDOS POR DIA (50% água e 50% sucos)
  • Consumir frutas frescas (melancia, limão, mexerica melão, uva, maracujá)
  • Verduras e hortaliças em geral (agrião, alface, abóbora, rabanete, chicória, almeirão, chuchu, abobrinha, pepino, tomate).
  • Pães integrais, aveia, milho, arroz, trigo, ameixa in natura, carne de frango, lentilha e amendoim. Esses alimentos aumentam a acidez da urina e diminuem a formação de cálculos por oxalato de cálcio


Alimentos que devem ser consumidos com Moderação


·         Os alimentos fontes de cálcio, como leite e derivados, gergelim, farinha de peixe e melado de cana, deverão ser consumidos na quantidade prescrita na dieta. O consumo além do recomendado poderá levar a uma maior formação de cálculos.
·         Deve-se controlar também a ingestão de alimentos que diminuem a acidez da urina, como banana, abacaxi, damasco seco, figo seco, uva passa, pêssego, caqui, acelga, couve, cebola, batata, abóbora, nabo, agrião, cenoura, pepino, chicória, melaço e geléias
·         Alimentos ricos em vitamina C (acerola, laranja, Kiwi, manga, morango)
·         Os curtidos em sal (picles, conservas)
·         Os de alto teor protéico (carnes vermelhas, frango, peixe, ovos, queijo, soja, gelatinas)

Alimentos que devem consumidos a serem Evitados


·         Os alimentos gordurosos, como bacon, toucinho, banha, pele, frituras em geral, carnes gordurosas e creme de leite devem ser evitados, porque estes possibilitam a formação de sabões de cálcio e maior incidência de cálculos de oxalato de cálcio;
·         Alimentos ricos em Oxalato de cálcio também devem ser evitados. São eles: Folhosos verdes escuros (acelga, brócolis, espinafre, chicória, almeirão), aspargo, abacate, ameixa seca, beterraba, fava de cacau, café, chá preto, coração de galinha, espinafre, pimenta rim e sardinha;
·         Alimentos com alto teor de purinas também devem ser evitados. São eles: caldo de carne concentrado, fígado, rim, sardinha e carne bovina


Procure sempre a ajuda de um profissional especializado na área.

Nenhum comentário:

Postar um comentário