quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Obstipação Intestinal

A constipação intestinal, também conhecida como obstipação ou prisão de ventre, é um quadro que ocorre quando o paciente evacua com dificuldade e pouca frequência, geralmente menos que 3 vezes por semana e com necessidade de fazer grande esforço para que as fezes consigam passar.



Entre as causas possíveis de prisão de ventre, podemos citar:
  •     Ingestão insuficiente de líquidos.
  •     Dieta inadequada, com elevado consumo de proteína animal e carboidratos, e baixo consumo de fibras (causa muito comum de prisão de ventre).
  •     Alterações na rotina diária do indivíduo, como, por exemplo, viagens.
  •     Sedentarismo.
  •     Imobilidade, como no caso das pessoas que ficam restritas à cama.
  •     Consumo excessivo de laticínios.
  •     Gravidez.
  •     Estresse emocional.
  •     Frequentemente não evacuar na hora que sente vontade. Isso pode ocorrer em pessoas com hemorroidas ou fissura anal, pois, como a evacuação é dolorosa, o indivíduo acaba segurando a fezes com receio de sentir dor.
  •     Uso abusivo de laxantes, que a longo prazo podem enfraquecer a musculatura intestinal.
  •     Alterações na musculatura pélvica.
  •     Pseudo-constipação, que é o caso do paciente que refere constipação, mas, na verdade, não preenche critérios para esse diagnóstico.

Doenças orgânicas que podem provocar prisão de ventre:

  •     Diabetes mellitus
  •     Hipotireoidismo
  •     Depressão
  •     Distúrbios de ansiedade.
  •     Anorexia nervosa.
  •     Esclerose múltipla
  •     Doença de Parkinson
  •     Lesão da medula.
  •     AVC -ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL.
  •     Câncer do cólon.
  •     Câncer do reto.
  •     Síndrome do intestino irritável.

Medicamentos que podem causar constipação intestinal:
  •     Analgésicos opioides (derivados da morfina).
  •     Anti-histamínicos.
  •     Anti-inflamatórios.
  •     Antidepressivos.
  •     Antiepiléticos.
  •     Antiespasmódicos.
  •     Antipsicóticos.
  •     Suplementos de ferro.
  •     Antiácidos à base de alumínio.
  •     Bário (usado em exames radiológicos).
  •     Anti-hipertensivos, principalmente da classe dos inibidores dos canais de cálcio.

A prisão de ventre em mulheres jovens e saudáveis costuma não ter uma causa grave por trás e, na maioria das vezes, não necessita de uma investigação médica muito profunda. Por outro lado, a constipação intestinal em idosos deve ser avaliada com mais cuidado, pois ela pode ser o primeiro sinal de um tumor do cólon ou do reto. Os idosos também costumam ser medicados com múltiplas drogas, podendo ser uma delas a origem da sua constipação.



O tratamento nutricional visa:

  •     Regularizar o trânsito intestinal
  •     Corrigir erros alimentares
  •     Manter uma dieta mais laxativa
  •     Traçar um plano de hidratação adequada

Quais são os melhores tratamentos naturais para a obstipação?


Para a maioria das pessoas que sofre de obstipação, os seus tratamentos têm um resultado semelhante - "aumentar o volume" das fezes e adicionar água para que saiam rapidamente do seu sistema, sem dores e sem esforço. Para isto, há várias linhas de orientação que pode seguir, que ajudam a prevenir a obstipação a longo prazo:

  •     Beber quantidades adequadas de líquidos
  •     Os líquidos são essenciais para manter os movimentos intestinais regulares e um cólon saudável. Adicionalmente, um dos sintomas principais da obstipação são fezes duras; assegurar que o seu organismo tem líquidos suficientes ajuda a evitar isto. Idealmente, deve consumir 1,5 litros de líquidos não-desidratantes por dia.
  •     Comer uma dieta rica em fibras
  •     As fibras “aumentam o volume” das fezes, o que ajuda a assegurar que ficam com a forma correta. Assim, o trânsito através do sistema digestivo e ânus será mais fácil. As fibras encontram-se em tudo, desde legumes, frutas, leguminosas e sementes.
  •     Faça exercício regularmente
  •     Exercício físico regular assegura que os resíduos são transportados através do cólon, de forma rápida e eficiente. Isto significa que há menos tempo para remoção de líquidos, sendo assim mais provável ter fezes macias e fáceis de evacuar. Exercícios aeróbicos, como caminhar e correr são ideais, e devem ser feitos diariamente.


Este suco laxativo é preparado com ingredientes naturais e auxilia na obstipação intestinal:

Suco Laxativo – ingerir de 2 a 3 vezes/dia


Ingredientes para preparo de uma porção:
- 1 fatia de mamão
- 120ml de suco de laranja
- 4 unidades de ameixa preta seca sem caroço

Modo de Preparo:
- Liquidificar todos os ingredientes
- Não adoçar
- Não peneirar


    As fibras alimentares ajudam a regularizar o trânsito intestinal. Farelo de aveia e trigo, cereais e grãos integrais são indicados para aumentar o consumo de fibras.

    Outro fator importante é a ingestão de líquidos. Uma alimentação saudável aliada à atividade física (orientada por profissional da área) auxiliam no funcionamento normal do intestino.

    Existem fibras solúveis vendidas em farmácias, na forma de latas ou envelopes individuais para acrescentar em sucos de frutas ou sopas que auxiliam na regularização do trânsito intestinal.


Laxantes para prisão de ventre

 
Se as medidas acima não surtirem efeito, o uso de laxantes pode estar indicado. É bom lembrar, porém, que o uso abusivo de laxantes a longo prazo pode perpetuar a constipação, tornando a resolução do problema mais difícil. O laxantes são para serem usados de vez em quando, em períodos de maior necessidade. Se você precisa recorrer aos laxantes de forma regular, o ideal é procurar ajuda de um gastroenterologista em vez de ficar se automedicando de forma contínua.

Entre as opções de laxantes, as mais usadas são a lactulose, sorbitol, óleo mineral, bisacodil (lacto purga ou dulcolax) e senna. Nos casos mais resistentes, supositórios de glicerina ou bisacodil, ou enemas podem ser tentados.

Se nada der jeito, a desimpactação manual é o próximo passo. Muitas vezes, o paciente forma um bolo de fecaloma tão grande e duro, que é fisicamente impossível do mesmo ser eliminado sem ser fragmentado de forma mecânica antes.

Atenção: Fibras solúveis e qualquer medicamento laxativo deve ser utilizado, somente com prescrição médica e/ou nutricional.

                                                                                                                                                              

Em 1997 foi proposta uma classificação das formas mais habituais das fezes, chamada de Escala de fezes de Bristol.


Esta escala é dividia  em 7 tipos de fezes, de acordo com a velocidade do trânsito intestinal:
– Os tipos 1 e 2 ocorrem em pessoas com transito intestinal lento, com pouca fibra na alimentação e tendência à constipação intestinal.

– Os tipos 3, 4 e 5 são considerados as formas normais, sendo o tipo 4 a forma mais saudável e desejável das fezes.

– Os tipos 6 e 7 indicam um transito intestinal acelerado, com menos tempo para absorção de água e nutrientes, sendo considerados diarreia.

obs: as fezes do tipo 5, se não tiverem bordas bem definidas e boiarem, podem indicar um transito intestinal acelerado, com fezes ricas em gases, carboidratos e/ou gordura. Neste caso, ela é um tipo de diarreia, não sendo uma forma desejável de evacuação.

Portanto, as fezes normais são sólidas, moldadas em forma de salsicha, úmidas, têm coloração acastanhada, não causam dor para sair e não apresentam nenhuma outra alteração, como presença de muco, pus ou sang
ue.

Um comentário:

  1. Nossa, tô mto chateada... Com menos de 30anos estava com fissura anal, que acarretou em plicoma. Agora está bem dilatada a região ao redor do ânus. Eu evacuo sem dor e com uma frequência boa, porém as fezes vem bem macias e finas, o que dificulta a saída completa. Aí é que está o meu problema: não me conformo em saber que ficou metade do cocô lá dentro; eu fico espremendo com um espelho até ver que saiu tudo. Parece que há tb aquele tipo de hemorróida interna que vem um pouquinho para fora durante a evacuação e volta para dentro. Estou me sentindo horrível pq como que eu vou ter relações sexuais com o corpo desse jeito?!?! Eu como fibra todo dia e tomo água, mas eu não como porções grandes de comida pq me satisfaço com pouco (tenho 1,60m, 53kg). E não faço exercícios regularmente, mas tb não como porcarias...

    ResponderExcluir